Diversidade Negra na Periferia

Em 2004, observando que a população LGBTQI+ Negra das periferias de Fortaleza eram vítimas de extrema violência, principalmente as mulheres lésbicas e bissexuais (cis ou trans), o que gerava degradações preocupantes, como o abuso de álcool e drogas, e o abandono familiar, o Projeto Arte de Amar nasceu. A Demanda nos veio da própria sociedade civil, que reconhecendo o papel da nossa instituição na construção do Bairro do Curió, e do protagonismo que exercíamos em diversas áreas, nos pediu proteção e um trabalho continuado com arte, esporte e a Informação para combater essas violências e ajudar a restituir os direitos humanos básicos negados a essas populações.

   

Nosso coletivo é composto por pessoas negras LGBTQI+ das periferias de Fortaleza e algumas da região metropolitana, a maioria mulheres, artistas, jovens e adultos, que não tiveram muito acesso a escolaridade de nível superior, boa parte do nosso coletivo são artistas, articuladores sociais, comunicadores popular, e educomunicadores.